sexta-feira, 11 de março de 2011

Eu construir uma casa,


No alicerce dessa casa coloquei orações e minha fé em deus, nos pilares dela, usei meus sonhos que conseguir realizar, e nas paredes as desilusões decoradas dos atos bons que já fiz e os que planejo fazer, sem muitos adornos, nos quartos encontram-se poemas e escritas às quais fiz para uma pessoa, para duas, e às vezes para ninguém, já na cozinha ficou encarregada de ter os sonhos que não foram realizados mais que com muita força um dia serão, a sala principal não trazia uma TV de plasma ou quadros caríssimos, mas apenas um retrato de Jesus crucificado, morto e sepultado e  após três dias quem retornasse a sala de estar dessa casa viria o retrato mudar para Jesus  ressuscitado e sorridente, perdoando todos aqueles que mal lhe fizeram. Na parte dos fundos da casa, coloquei as decepções e duras palavras que meus ouvidos já escutaram, ao lado de uma máquina que construi, que transformava essas palavras em romances literários e poemas líricos. Na varanda coloquei o AMOR, os sorrisos, os bons momentos e o dom de viver, pus flores, cores, desejos e lágrimas que um dia derramei, mas que foram transformadas em gargalhadas, por fim a localidade, essa foi escolhida a dedo, nessa localidade as ruas eram feitas de cordialidade, dedicação, respeito e carinho, o problema é que nessa rua ainda não tinham outras casas, mas eu sentia que logo viriam, então resolvi construir uma igreja, enquanto os meus vizinhos não me chegavam iria eu para lá conversar com Deus e agradecer pelo dom da vida, pela terra molhada nos dias de chuva, pelo calor escaldante nos dias mais quentes, pelas flores gélidas nas ondas de frio, pela poeira em tempos difíceis , pelo solo, pelo dia e pela noite, pelo mar e pelas estrelas, às quais todas às noites iriam eu olhar da varanda, pelas árvores e pelos animais, pelos frutos e colheita e acima de tudo pelo amor, o verdadeiro amor ao qual tinha em meu coração, o qual me fez construir essa casa, lutar pelos meus sonhos, aceitar os que não foram realizados, sorrir cotidianamente e amar, amar sem medo e sem pressa, sem receios e sem muitas promessas, amar o próximo como a si mesmo,... apenas AMAR,
                                                               Minha casa numeração não possui, pois o amor a conclui,

                                                                                                              Roberta Laíne,!

Nenhum comentário:

Postar um comentário