quarta-feira, 29 de agosto de 2012




E então senti meu coração pular de alegria por de baixo do peito, era você! Mas que saudade de sentir isto! Te olhei incrédula, era mesmo você? Indubitavelmente era! Estava lá você, parada em minha frente, piscando, movimentando o corpo, respirando, e sorrindo para mim. Foi difícil de esconder meu riso, todos os meus dentes alargaram-se de tanta alegria, era você! Será que a ciência explica isto? Será que a ciência explica as sensações do amor? Ahhh! Que pergunta idiota, mas é claro que não ! Ora ciência, que mané ciência meu deus, era amor, era tanto amor que a tarde não comportou tamanho e aquelas sensações invadiram a minha noite, e a imagem de teu sorriso inundou a minha madrugada, e tenho felicidade guardada pro restante da semana, era real, eu estive com você e isto já me basta para o ano inteiro.

Estonteantemente,

-r.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012




Ok! Admito, eu estou morrendo, tipo morrendo, morrendo mesmo, de saudades de ti,

-r.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

— Parecia tão real não era?
— Era, parecíamos...
— E era?
— Não, só parecia mesmo.

-r.

sábado, 4 de agosto de 2012



Ruim não é quando você dorme pensando, ruim, é quando você nem dorme por pensar ...

-r.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012



É tanto coisa sobre mim, que às vezes acho que sou a maior culpada do buraco na camada de ozônio ...

-r.
Por que você não me procura e me fala tudo o que tem para falar? Assim de verdade, dizendo EU SINTO TUA FALTA, assim sem medo sabe? Assim, assim tipo dizendo que me ama, se é que me ama, me procura,

Ainda te espero,

r.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012




E então a dama da noite pôs-se em seu devido e fiel lugar, porém, desta vez havia um detalhe em especial, perto, desta vez perto demais... tão perto que, jurei acreditar por um instante que dava para tocá-la, foi então que lembrei-me de você, lembrei-me que eu adoraria te contar das minhas inúmeras teses sobre as diversas coisas; lembrei-me de que possivelmente tentaria te convencer de que poderíamos desta vez tocá-la ou de meu secreto foguete rumo à lua; lembrei-me das possíveis contas que evitaria fazer devido meu não apreço pela matemática, lembrei então que você sorriria e mostrar-se-ia interessada em minhas teses sem exatidão e nenhuma base numérica, mas que ao final eu sempre enchia o peito e você riria de meu bobo eu, de meu ar revolucionário, você riria... lembrei-me. Porém, lembrei-me entretanto do ininteligível que sempre nos abraçava; soturna olhei para lua que ao perceber decidiu voltar, voltou então a sua devida distância,  inteligível, sempre ininteligível o porquê de eu e você não podermos nos transformar em "nós"... Voltara a lua  à sua longínqua posição e eu mais ainda.

Distantemente,

-r.

Eu só quero que você saiba que: dentre todos, você foi o meu melhor equívoco...

-r.

Sentir sem ti.

Escrevo porque tenho uma pré-disposição exagerada a sentir, é, sentir ou talvez sem ti. A questão é: eu sinto, de sentir e de sem ti também. Ambos me movem; sentir, a viver, e sem ti, a escrever.

Entendam da melhor maneira.

-r


Vejamos, em meio a tanta saudade, corro o sério risco de me apaixonar novamente por você .

-r.