terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Não tenho mais paciência pra diálogos, pro mundo, pras pessoas! Estou cheia, farta, exausta de gente, de seres humanos, de corpos, de falação. As pessoas me cansaram antes mesmo de me entusiasmarem, me fadaram antes mesmo de me fantasiarem, me causaram sono antes mesmo de tira-lo-me... É tão complicado viver num mundo onde você senta num sofá, ficá em pé numa fila, caminha pela cidade e não entende ninguém, não reconhece ninguém, não sabe onde está e tem medo... Medo! As pessoas me causam medo com todo esses discursos mal contados que soam como palavras eloquentes aos que escutam; eu fico só olhando, só observando e me perguntando onde é que essa gente vai chegar!? Eu nunca entendo por que essa ganância toda, essa busca toda, toda essa análise que gira em torno de uma só coisa: dinheiro! Tudo é dinheiro! Namoro é dinheiro, casamento é dinheiro, família é dinheiro, vestibular é dinheiro, profissão é dinheiro, saúde é dinheiro, dinheiro dinheiro dinheiro! Eu não aguento mais essa palavra... No supermercado tudo é circulado de dinheiro, preços, número, a gente não poderia simplesmente sentir fome e pegar uma maçã? Não sem dinheiro! As pessoas sentam numa roda e ficam conversando sobre DINHEIRO. E o problema então do país? A tal da crise no Brasil, no mundo, no planeta terra e na casa do caralho é tan tan tan tan dinheiro! Chega de dinheiro! Chega de escutar pessoas que tinham tudo pra ser tudo mas querem ser dinheiro, querem fazer medicina por que dá dinheiro, querem matar de jaleco por dinheiro, porque matar com uma arma na mão dá pouco dinheiro; mas matar de jaleco e gola polo branca não dá cadeia, dá dinheiro. Falando nisso tenho médico hoje, será que ao invés do meu reumatismo ele vai falar de dinheiro? Será que ele vai dizer que meu problema é dinheiro? Enfim, só queria contar um pouco pra vocês como que andam as coisas aqui na terra, e como possivelmente anda faltando...

Dinheiro.

- roberta laíne.

domingo, 17 de janeiro de 2016

Estou a ponto de mais um fracasso em mais um relacionamento, tudo isso pelo sempre simples motivo: eu sou parada. Paradona, não saio, não me movo, pareço um móvel velho, não gosto de festas, de bagunça. Odeio o carnaval e isso me custou caro, brigas, lágrimas, e mais um término, de mais um relacionamento, sempre pelo mesmo motivo:

EU SOU DE OUTRO PLANETA.

Aos terráquios,

Roberta.

sábado, 16 de janeiro de 2016

As mulheres me decepcionaram...

Outra vez, vi uma menina solitária sentada num banco surrado da praça de Belém, e, percebi que a tristeza em sua forma e cor gris abrasava aquela moça - tentei imaginar o que havia acontecido com ela e a resposta logo veio em forma de tatuagens e piercings queimando a ponta de um cigarro do outro lado - numa escada com outras tatuagens e outros piercings e uma garrafa de vodca. Ora, aquela menina de jaqueta preta ferrou com a vida da metaforicamente tristeza de vestido. Foi fácil perceber que as mulheres a decepcionaram, e assertivamente os homens também! Bem que poderia ter ficado em casa pensei alto com uma das frases de mamãe... As mulheres...! Acho justo um homem não entender por que uma mulher o troca por outra, ora, é complexo demais para que um homem entenda, pois no final da noite, só uma mulher, a mãe, a prima, a tia, a melhor amiga, pode entender a outra! É tipo um pedido de desculpas e um abraço, essa coisa mexe com a gente, o problema é que andamos pedindo desculpas demais para tudo e não se desculpando de verdade. Fico imaginando se uma daquelas tatuagens do braço da menina poderia ser para aquela pobre tristeza, ora, uma mulher sabe muito bem despistar a outra! Nunca se esqueça, você nunca, em situações aceitáveis da vida, conseguirá enganar uma mulher! E acho equivocado darem o sexo frágil pro lado mais forte do pêndulo; nunca entendi essas convenções sociais. Mas já estava feito, a outra tinha umas 10 tatuagens então socialmente ela era a mais forte, e obviamente a tristeza em forma de vestido devia ter na bolsa um batom suave e um espelho a sua espera. A ficha só cai depois que alguém do outro lado atende a chamada... Só uma mulher sabe como de fato ferir gravemente outra. Se uma mulher disser que te ama, pode ser por pena, pode até não existir amor, mas nunca será uma mentira. Se aquela moça de vestido levantasse daquele banco e fosse até sua namorada de jaqueta preta e dissesse que não aguenta mais vê-la traindo, bebendo, e a tratando mal, como se nunca fosse a perdoar por algo que ela nunca fez... Se ela se levantasse... Não sei ao certo o poder de uma mulher, mas sei que é bem maior que o dos homens e até mesmo dos animais. Você não pode esquecer desse poder, ele atua em todas as áreas do pensamento, do corpo, da alma, do dizer, e infelizmente a moça que chorava no banco resolveu ir pra casa, chorar em casa, possivelmente no outro dia ela receberia uma mensagem de texto ou ligação pedindo desculpas e tudo ficaria normal, tudo ficaria bem, até a próxima praça, o próximo gole, e as próximas mentiras, quem sabe até uma tatuagem em sua homenagem... Só uma mulher sabe enganar a outra, e alguma delas me decepcionam... Enfim, a água do meu café já ferveu e as mulheres, algumas delas, me decepcionaram...

- roberta laíne.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Me acalma,
Me bagunça
Me atrapalha,
Me joga
Me atira nessa vidraça,

Mas te digo
Bem baixinho
Bem no pé do ouvido,
Me acalma com tua alma...

- roberta laíne.