sábado, 29 de setembro de 2012

Um bilhete de mim para mim:

Querida r, já basta! A partir de agora não fale mais nada! Mais nada fui clara?

Você foi clara! Eu cansei de falar as coisas e ninguém me ouvir, a partir de agora, vou ficar na extremidade de meu quarto, olharei os outros mentindo, e irei calar-me, olharei os outros chorando e apenas abaixarei minha cabeça como respeito, olharei os outros entregando-se as drogas mundanas e apenas sorrirei,
Que mundo estranho fora esse que me meti querido eu? Por que ultimamente mentir é mais legal? Mudei até minha concepção sabe, particularmente acho bastante forte uma pessoa que mente e consegue olhar nos olhos doutra e dizer: " ooi ? " " eu te amo ta? " " pra sempre " " BOOM DIA! " acho que isto é ser forte sabe, e ser fraco, é sozinha tentar mostrar a verdade, que mundo louco, eu quero sair daqui!
E quanto ao "já basta!" fique tranquila, pois ficarei em silêncio, e entenda este como o meu mais profundo desempenho em não mais me importar. O mundo lá fora está corroendo-se em mentira, e a única coisa que eu farei é acender o abaju de meu quarto, e reler meus livros favoritos, e quando sentir-me sozinha, conversarei com eles, aqueles seres inanimados que eu adoro conversar, o guarda-roupa, a mesinha de centro e mais alguns objetos que converso,
Se você acha isto mais estranho do que quando ponho meu despertador às 7:03 enquanto todos põem as 7:OO ou em horas pontuais, avise-me, que bem, eu não irei mudar, é só pra eu saber mesmo o que mais há de estranho em mim...

Ótimo querida r, espero não ter que vir mais aqui para te deixar um bilhete, já é a segunda vez que fazem isto contigo, na verdade já fizeram várias, mas não vamos contar, és forte, então obedeça-me, não faça mais nada, já estou estou providenciando a tua retirada desta dimensão, já fizestes o que precisava, agora, acalme-se e leia, converse com seus seres inanimados e não há motivos mais para chorar, no final das contas tu virás comigo, mas não saia, eles nunca te entenderão...

Com carinho,

r.

Nenhum comentário:

Postar um comentário