quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Misfit ..

Era uma inquietação, doce por sinal, eu parava e te imaginava em meus vulneráveis braços. E como na tv, eu me apropriava de um controle remoto (mental) ao qual me pegava: parando, voltando e repetindo aquele mesmo pensamento, o de todos os dias: Teu beijo.
Algumas pessoas logo enjoariam este filme de uma única tomada e sem nenhum figurante, gravadas num cenário simples e rústico em preto e branco, com a mesma trilha sonora, beatles. Sei que em menos de uma semana qualquer normal enjoaria, mas isso, passara o inverno todo em mim, e você se tornou minha cena de filme favorita. 
Imaginar teu beijo era um dos melhores pensamentos que me alimentava, até meu CD favorito de The Beatles dissera-me certa noite que estava cansado de ser trilha sonora do mesmo filme, e eu sem pressa alguma, sorri daquela inquietude de meu CD. Entretanto nada modifiquei, e é assim, por quase dois anos. 
Choro assistindo Fluke - lembranças de outra vida (1995) e te conto de uma maneira que te faz sorrir. Algumas vezes, amores efêmeros me aparecem, uns excitantes, outros monótonos e eu te conto também. Meus gostos você tão bem sabe, beatles, chapolin e livros de toda e qualquer espécie, com uma leve queda por meu eterno Álvares, Shakespeare, um pouco de Lispector e Baudelaire. Te conto sobre minha queda por Hitler (nosso estranho segredo), Getúlio Vargas, Leonel Brizola e Che Guevara também, politicamente não falando, e um violão frouxo como teu riso sem graça... No mais, você sabe que gosto de falar sozinha, desenhar coisas estranhas e comer sucrilhos, criticar alguns filmes absurdos e sempre elogiar Tim Burton pelo presente Edward Mãos de Tesoura (1991), e secretamente sabemos que passe a primavera que passar, sempre voltamos ao mesmo ponto: você docemente sorrindo, e nós discutindo sobre tomoyo e sakura (de Sakura Card Captor, um dos nossos desenhos favoritos). E eu sempre te mostrando alguns de meus poemas, enquanto rimos de seus estranhos neologismos e da maneira absurda que eu te lembro de nós, fazendo cara de boba ao imaginar você..

por dois outonos completos,

-robie. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário