domingo, 28 de outubro de 2012

E no que diz respeito a ti, sempre criei coragens absurdas. Às vezes paro, e fico me perguntando: Como? Como tive e tenho a audácia de desafiar certos limites e leis físicas por causa de você. Um completo idiota que diz eu te amo, mas que não faria nem um quarto do que faço, e me irrito ao saber que tudo o que fiz e faço é natural, chegando a doer em mim a capacidade de me odiar, por não me dominar mediante a ti, e às vezes sufoca, sufoca bastante, o fato deu saber que, por ti, eu faria isto, e muito, muito mais do que até eu, possa imaginar.

-roberta. laíne.

Nenhum comentário:

Postar um comentário