sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Doce contente

Que doce contente, solitária,  fria, sozinha. Ontém eu tinha cheiro de rosa do dia 12 de junho, hoje tenho cheiro de pobre margarida envelhecida.

Que doce contente,  solitária, fria e ainda mais sozinha. Ontém eu tinha o amarelo da aurora das manhãs, hoje tenho a punumbra do fim do dia.

Que doce contente, solitária, fria tão sozinha. Ontém eu era tua morada, hoje vago pelas esquinas. Solitária, fria, sozinha.

Que doce contente ...

-roberta laíne.

Nenhum comentário:

Postar um comentário