sábado, 7 de fevereiro de 2015

Tarde cinza,
Vento frio,
Lua de cachicol,
Parei num banco vazio:
Poeta escreve pros outros, mas quem escreve pra nós?

Chuva lá fora,
Vento cortante,
Lua de sombrinha,
Parei de baixo de uma sombra sozinha:
Ninguém escreve pra poeta, poeta é carente de escrita.

-roberta laíne.

Nenhum comentário:

Postar um comentário